O tal do home office!

Só se fala nele: “Estou trabalhando home office“, “Amanhã começo home office“, “Sextou com home office“.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Nunca se falou tanto em trabalhar em casa! Essa já era a realidade de uma pequena (ou não tão pequena assim) parcela da população produtiva no Brasil, mas em tempos de pandemia, essa realidade virou rotina de quase toda a população.⠀⠀

Trabalhar home office tem suas vantagens: zero custo de transporte ou combustível, maior flexibilidade de horários, estar próximo a família, na comodidade de sua casa. Mas existe um lado obscuro nessa prática : muitas vezes você acaba sendo tragado demais pelo trabalho, não consegue separar funções ou acaba cedendo demais a um chefe (caso tenha!), “você já está em casa mesmo, não custa nada ficar mais 30 minutinhos disponível!” ou “Vamos começar a reunião às 8h, mesmo que seu horário seja 9h, mas você nem precisará se deslocar“. Mas aí está um erro: custa demais! Custa muitas vezes nossa saúde mental e nossas relações familiares.

O home office está aí para testar nossas habilidades de assertividade, de saber dizer não, de organização e de prioridades. Até onde você trabalha e até onde você “está em casa”?⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Trabalhar em casa requer alguns cuidados essenciais :

  • tenha horários definidos de início e fim de expediente;
  • troque de roupa (se ficamos de pijama ou “roupas de casa” nosso cérebro não processa muito bem nossa nova rotina);
  • tenha uma rotina estabelecida, horário de acordar e dormir, pausas, horário de ócio e lazer;
  • tenha um lugar próprio para trabalhar (ficar fazendo rotinas de trabalho na cama é furada, além de prejudicar sua coluna);
  • faça pequenas pausas durante o expediente;
  • boa alimentação (não pule refeições) é fundamental, assim como, beber água (dois litros por dia, hein?)
  • saiba dizer não (e sustentar esse não);
  • sábado e domingo continuam sendo finais de semana ok?⠀⠀⠀⠀⠀

E você, como está a rotina de home office por aí?

Vamos juntos (até dentro de casa!)

PROTEGENDO A SAÚDE MENTAL

Olá, pessoal.

Irei aos poucos retomar as atividades por aqui, pois algumas pessoas me perguntaram porque havia parado de escrever para o blog.

E nada melhor do que falar de saúde mental em tempos de retomada e quarentena!

Há algum tempo tivemos uma live incrível no Instagram (se ainda não me segue, tá aí uma ótima oportunidade @psicologaticianacarnauba) sobre como proteger nossa saúde mental em tempos de quarentena e resolvi compartilhar aqui um resumo dela!

Vamos lá.

1) CUIDADO COM O EXCESSO DE INFORMAÇÃO: busque fontes confiáveis e escolha dois momentos no dia para se informar. Claro que temos que nos manter informados sobre o que está ocorrendo, mas overdose de informações pode ser prejudicial à nossa saúde mental. Escolha no máximo duas fontes confiáveis (grupos de WhatsApp não contam) e escolha qual melhor horário para ter acesso a essas informações. Depois disso, desligue e vá utilizar seu tempo de outra maneira.

2) FAÇA COISAS NOVAS E AQUELAS QUE VOCÊ GOSTA: não são férias, mas não precisamos estar 100% com nosso tempo preenchido de tarefas para sermos produtivos. Momentos de lazer e ócio são bem vindos. Aproveita que agora temos tempo e veja aquela série que não conseguia, ou desenterre o vídeo game do armário, busque receitas que sempre teve vontade de aprender. Utilize seu tempo para nutrir seu cérebro de novidades estimulantes.

3) SEJA RESILIENTE E REALISTA: não julgue e tente aceitar ao outro e a si mesmo. Essa pandemia não irá durar para sempre. Uma das grandes dificuldade do ser humano, independente da época que está vivendo é não julgar, os outros e a si mesmo. Seja gentil com você, e entenda que estamos vivendo uma época sem precedentes, e que a resiliência se torna uma ferramenta da inteligência emocional muito importante.

4) SE CONECTE COM PESSOAS: intensifique ligações, mensagens, vídeos chamadas. Vamos utilizar a tecnologia a nosso favor. E também aproveitar para nos conectar com quem está em casa com a a gente. Afastamento social não quer dizer “se isolar”, e isso infelizmente ocorre muito. Não se isole, busque estar presente virtualmente com que você conhece e até mesmo em interações com novas pessoas em lives e fóruns online. Para as pessoas “de casa” aproveite o tempo para refeições juntas, jogos de tabuleiro e conversas olho no olho.

5) CUIDE DO SEU CORPO: movimente-se, coma bem, tenha uma rotina de sono. Cuidas da saúde do nosso corpo é importante para termos uma boa saúde mental. Ao acordar alongue-se, faça pequenas pausas no home office para movimentar-se pela casa, veja aulas de yoga, ou ritmos na internet e tenha um horário pre-definido para isso, além de tentar manter uma boa alimentação, dando mais atenção a alimentos ricos em proteína, para aquela energia. E claro, dormir bem é importante. Tente estabelecer uma rotina do sono, com horários de despertar e dormir.

6) TENHA UMA ROTINA E COLOQUE AS COISAS EM ORDEM: tenha horário para acordar, programe o seu dia (sem esquecer do prazer e do ócio), e aproveite pra fazer aquela arrumação no armário, na gaveta, aquela faxina também tá valendo. Use agendas, planners, aplicativos de organização, e tenha os seus dias visualizados. Separe um dia da semana para se organizar e vá fazendo os ajustes necessários. Nosso cérebro agradece um pouco de ordem dentro do caos.

7) FOQUE NO QUE É POSSÍVEL FAZER: podemos nos afastar socialmente, lavar as mãos, usar álcool em gel, evitar tocar olhos e boca e nariz, ajudar idosos para que eles não precisem sair. Além disso, nada mais está no nosso controle. Abra mão disso, e seja mais gentil com você mesmo!

8) SE PRECISAR, BUSQUE AJUDA: vários profissionais da saúde estão atendendo de forma voluntária (tem no meu feed lá no IG uma lista de Psicólogos), tem o CVV (disque 188), continue a sua terapia – caso já faça, mesmo que online. Não se isole. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza e sim de coragem!

Esse foi o resumo e espero que ajude a vocês! Aproveita e manda essa publicação para todo mundo que você sabe que precisa ler isso todo dia.

Vamos juntos!